<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15739561\x26blogName\x3dVampiria\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://satanlandia.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3den_US\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://satanlandia.blogspot.com/\x26vt\x3d564692475540933994', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Saturday, March 29, 2008

Dói-me não te ter como me doía ter-te.

Créditos: Fernando Figueiredo


Rasgo a minha pele suavemente, sem medo da dor, só pela curiosidade perversa de me ver sangrar. Sorrio. Mas...

Mas há muito não sangro. Há muito não sangro, pois a dor me sugou até à última gota...


Dói-me não te ter como me doía ter-te.


A cada posse me doías mais dentro dentro mim, entranhado, como um prazer inusitado e inegável que chegava e me abarcava completa e cabalmente como uma primeira vez inesgotável.

A cada olhar, a cada acto cúmplice, a cada afirmação de união desigual, me doías.

A cada simples gesto, a cada toque, a cada beijo sentia pulsar o fim do tudo que te tornavas e do nada que deixavas.

Chegavas de braços abertos que cingiam o corpo inerte, frágil demais, e davas tudo. Partias de costas voltadas, sem uma única hesitação levando o tudo da chegada deixando o nada da partida anunciada...


Dói-me não te ter como me doía ter-te.


Agora, não te tenho mais.

Mas, pelo menos, não sangro, pelo menos não abraço mais o vazio que abraçava quando te despedias com promessas de mais "tudo". Não sangro e não tenho mais "nadas", porque era um grande nada que eras.

O meu nada mais precioso. Morreu. Morreste. Agora sim. Adeus.

26 Comments:

Anonymous alfacinha said...

Vampiria um blog original
od cumprimentos

30/3/08 07:54  
Blogger Lord of Erewhon said...

«Dói-me não te ter como me doía ter-te.»

Sei bem o que é isso, acontece uma vez na vida: quando se amou de facto, e não tem cura.

Dark kiss.
P. S. O fotograma é o filme a imitar o quadro mais famoso de Fuseli... este: «The Nightmare», 1781.

30/3/08 12:49  
Blogger Rafeiro Perfumado said...

Imagem forte, sem dúvida. Espero que o texto seja apenas em sentido figurado...

Obrigado pela visita, mas foste parar ao meu blog semi-abandonado, onde "despejo" os desafios que me fazem. Terei todo o gosto em receber-te no outro. E não ligues à placa "cuidado com o cão", eu sou mansinho! ;)

30/3/08 14:26  
Blogger korrosiva said...

Obrigado pela visita ao meu blog... o teu é bonito :)
até á proxima, vou espreitando o teu ;)

30/3/08 15:48  
Blogger korrosiva said...

Bonito blog... obrigado pela visita ao meu... vou espreitando o teu :)

30/3/08 15:48  
Blogger kami! said...

Não tem como não dizer que simplesmente adorei, sinto como se pudesse escrever isso, talvez não com as suas palavras, mais o sentimento é comum...sei exatamente como doi perto ou distante, diferentes dores se é que é possivel definir uma dor, sendo ela diferente ou não...doi!
Gostei muito do que encontrei aki!

Bjusssssssss

30/3/08 17:20  
Blogger Storm said...

This comment has been removed by the author.

31/3/08 03:19  
Blogger Storm said...

percebo-te...
beijo
Storm

P.S. obrigada pela visita ao meu blog

31/3/08 03:19  
Blogger DANTE said...

não sangro , não sangro...
tudo , nada...
tudo , tudo...
não sangro , tudo...
não sangro 'nadas'...
nada , nada...


Adeus :)

31/3/08 04:37  
Blogger Girstie said...

Obrigada pela visita

TExto forte este. Mas às vezes mais vale dizer adeus do que continuar a sofrer...

31/3/08 11:50  
Blogger conchita said...

Adorei o texto, fez-me lembrar o meu 1º amor "dóia tê-lo como não tê-lo", sem dúvida há amores assim.
Beijos e continuação de uma boa semana :)

1/4/08 03:04  
Blogger Enfim... said...

ás vezes mais vale assim esta fantastico

Beijinhos

1/4/08 03:53  
Blogger Helena said...

Gostei do0 teu blogue muito original....


Gostei muito da Primeira frase deste post...


Obrigado pele visita...

Beijinho

1/4/08 03:57  
Blogger DarkViolet said...

A dor é sinal que se vive.
Uma vénia embalada no adeus

1/4/08 05:25  
Blogger sp said...

Estive aqui e gostei muito! Prometo voltar!!!

1/4/08 13:03  
Anonymous Luís V said...

A tua alma e a tua dor estão espelhadas nas palavras que escreveste...

1/4/08 20:35  
Blogger kolm said...

Que dor, que intensidade transcrita em palavras tão fortes... palavras rasgadas!! O desapego é dor mas é necessário para cortas as amarras e continuar e crescer, Continuar para frente com a lição bem aprendida!!

Um bj encantado e obrigado!

2/4/08 03:10  
Blogger Synne Soprana said...

Lindo!

A dor da ausência... A dor da perda... A dor da ilusão... A dor da mentira...

Enfim a dor...

4/4/08 15:56  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Cátia
A vida tem muitas fases. Acredita que o próximo episódio será melhor.
Um beijo
Daniel

5/4/08 09:54  
Blogger NunoSioux said...

hum.... Vampiria, Moonspell, The Cure, uma escrita divinal....

Gosto de ti....

;)

6/4/08 19:17  
Blogger NunoSioux said...

hum.... Vampiria, Moonspell, The Cure, uma escrita divinal....

Gosto de ti....

;)

6/4/08 19:17  
Blogger Alien David Sousa said...

Adorei.
Lembrei-me de imediato daquela frase muito batida: mais vale só do que mal acompanhado. É batida eu sei, mas se é para sofrermos, mais val lidarmos com as nossas dores sozinhos do que termos alguém ao nosso lado que nos causa dor. Temos um duplo trabalho, lidar com os nossos demónios e com a dor que essa pessoa nos causa. Não vale a pena, mais vale parar a carruagem e saltar fora.

Beijinhos

12/4/08 10:58  
OpenID Cópia Oculta said...

Frase muito intensa: "Dói-me não te ter como me doia ter-te"

19/5/08 13:27  
OpenID hiperborico said...

«Dói-me não te ter como me doía ter-te.»
Ah se eu fosse capaz de dizer adeus! Mas não sou. E à dor de o ter, mesmo que em breves momentos fugidios, retorno sempre.

...
Gostei muito de teus textos. Hei de retornar aqui sempre! convido-te para conheceres tb meu blog...
L.
(PS. Amo o Wolfheart do Moonspell como um todo... Seu nick é uma referência a ele, não?)

21/10/08 09:02  
Anonymous Dolly said...

Well said.

12/11/08 00:37  
Blogger 0.04 said...

"vivo sin vivir en mí
y tan alta vida espero
que muero porque no muero"


http://www.oshogulaab.com/MISTICOSCRISTIANOS/sanjuancruz1.htm

http://users.ipfw.edu/jehle/POESIA/VIVOSINV.HTM

15/12/08 15:44  

Post a Comment

<< Home